Saúde Sexual - Informações sobre sexo e sexualidade

A Pílula do Dia Seguinte

Articles / Saúde
Date: Nov 29, 2006 - 05:08 AM

Por Anne Griza
Psicóloga e Sexóloga

A pílula do dia seguinte, ou anticoncepcional de emergência, é uma forma de se evitar a gravidez indesejada, caso tenha acontecido algum acidente durante a relação sexual, como estourar ou escapar a camisinha, a mulher ter esquecido de tomar o anticoncepcional do dia, o furor do momento fazer com que o casal esqueça de usar o preservativo e ainda, em casos de estupro.



A pílula do dia seguinte é composta por altas doses do hormônio Levonogestrel, e deve ser tomada até 72 horas após a relação sexual desprotegida. Se a mulher tomar o comprimido até 24 horas depois da relação sexual, tem ainda 5% de risco de engravidar, se tomada entre 25 e 48 horas depois, o risco aumenta para 15%, e se passar deste período, o índice de falha pode chegar a 42%. Por isso esse método não é considerado totalmente eficaz.

Alem disso, assim como os anticoncepcionais ingeridos diariamente, a contracepção de emergência também causa efeitos colaterais: inchaço, dores de cabeça, vômitos, náuseas, entre outras. Não é recomendado que a mulher utilize a pílula do dia seguinte como forma usual de contracepção, sendo ela apenas um método paliativo no caso de um descuido ou acidente.

O funcionamento da contracepção de emergência acontece da seguinte forma: o hormônio contido no comprimido interfere na ovulação, adiantando-a ou não permitindo que ela aconteça. A pílula também altera o a mobilidade das trompas e a mucosa do endométrio, dificultando o movimento e fixação do óvulo. A menstruação pode ficar adiantada ou atrasada (em até uma semana do ciclo normal), dependendo da época do ciclo menstrual que a mulher se encontrava.

Como a pílula do dia seguinte não é abortiva, se a menstruação não acontecer em até três semanas após sua ingestão, a mulher pode estar grávida. Se isto acontecer, é porque a ovulação já tinha ocorrido e o óvulo pôde se fixar às paredes do útero sem impedimento algum.

Atualmente alguns paises da Europa, como a Inglaterra, já possuem leis que permitem que se compre a pílula do dia seguinte sem a necessidade de receita médica. Outros, como os Estados Unidos, ainda exigem que um médico receite este tipo de medicamento.

Talvez o controle seja necessário, pois é cada vez maior o numero de mulheres que fazem uso do anticoncepcional de emergência como forma de evitar uma gravidez, trocando a camisinha, o D.I.U. e mesmo o anticoncepcional tradicional por este método. Profissionais da saúde declaram ser isto um grande erro, pois a possibilidade de uma gravidez é bastante grande, além dos efeitos colaterais e possíveis problemas futuros pela ingestão de altas doses de hormônios.

Ser sexualmente ativo requer disciplina e responsabilidade. Existem diversos métodos anticoncepcionais muito eficazes. O uso indiscriminado da pílula do dia seguinte deve ser evitado, dando espaço para o uso de anticoncepcionais tradicionais, preservativo ou D.I.U.

Não se pode ficar o tempo todo acreditando na sorte, e como foi visto, a pílula do dia seguinte é muito menos eficaz do que outros métodos anticoncepcionais mais modernos. Cuidar do corpo, da saúde e evitar uma gravidez indesejada é cada vez menos complicado e traz muito menos prejuízos do que arriscar-se com métodos pouco eficazes.




This article comes from Saúde Sexual - Informações sobre sexo e sexualidade
http://www.saudesexual.com/

The URL for this story is:
http://www.saudesexual.com/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=108